Gabi Pessanha finaliza oponente e se destaca nas superlutas da última etapa do Mineirinho em 2018; veja

postado em: Notícias | 0
Gabi Pessanha foi a destaque do evento que aconteceu no sábado (1) na Arena Carioca 1 (Foto: Flash Sport)

Para fechar com chave de ouro a temporada de 2018 do Circuito Mineirinho Brasil Open, a FJJD-Rio realizou a Taça Guanabara, com disputas do kids ao adulto, e a Taça Brasil Master na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico do Rio de Janeiro, para definir os campeões do ranking e os vencedores para as passagens internacionais. Com uma ótimo público presente, o evento, no sábado (1), teve a realização de sete superlutas. Destaque para a faixa-marrom Gabi Pessanha que finalizou Patrícia Caiado (Soul Fighters).

À TATAME, a lutadora da Infight/MD contou que não iria lutar, em busca de uma preparação para as próximas etapas do Grand Slam da UAEJJF. No entanto, a promessa do Jiu-Jitsu aceitou o desafio e brilhou na arena olímpica: “Eu não ia lutar, porque estou muito focada no Grand Slam da UAEJJF e não queria lutar. Mas, o Gavazza (presidente da FJJD-Rio) me pediu, o meu professor (Márcio de Deus) falou para eu lutar, mas disse que não ia me pressionar. Foi legal. Eu estava focada e foi muito bom”, disse a casca-grossa.

Em um duelo de master, Osires Hunter (Top Brother) venceu Flávio Teixeira (3R JJ) por pontos. O faixa-preta analisou a luta, contou como se livrou da mão de vaca no fim e enalteceu a proposta da FJJD-Rio de valorizar os lutadores mais velhos.

“A minha intenção quando ele pegou a omoplata era girar por baixo, mas ele acabou travando a mão. Eu estava tranquilo e estabilizei a posição. Eu acho importante (superlutas), porque a maioria das federações não fazem isso. O cara treina desde criança, vai crescendo, desenvolvendo e vira um master. As federações não valorizam os atletas mais velhos. Acho que o incentivo da FJJD-Rio é bom para todos nós”, destacou Osiris.

Luiz Pedro Gomes (Equipe Gavazza) fez um dos melhores duelos das superlutas contra Rodrigo Lima (Game Fight). Em um confronto apertado, o lutador venceu por 3 a 0, mas precisou evitar por duas vezes o ataque do oponente: “Fico muito feliz de ter feito uma luta boa. A última que eu fiz, meu adversário pulou no armlock voador, então, estava vacinado. Tentei imprimir o meu jogo, colocar um pouco de queda. Mas, ele é um cara bom de queda também, não deu muito espaço. Acabei achando um espaço para passar a guarda. No fim, ele deu um bote no pé, mas já estava seguro que não ia pegar”, analisou.


Luiz Pedro Gomes (Equipe Gavazza) fez um dos melhores duelos das superlutas contra Rodrigo Lima (Foto: Flahs Sport)

Diversão com Festival Kids

O professor e faixa-preta Maurício Abreu comandou mais uma vez as atividades lúdicas do Festival Kids na Arena Carioca 1. A proposta da FJJD-Rio ganhou enorme projeção na temporada de 2018, inclusive, atingindo cada vez mais crianças ao longo das etapas.

PM é campeã no Jiu-Jitsu

No sábado pela manhã, também como parte do evento da FJJD-Rio, aconteceu a 1ª Copa de Jiu-Jitsu das Forças de Segurança. A Polícia Militar do Rio foi a campeã no quadro geral por equipes. Ainda no pódio ficou a Marinha do Brasil – Esquadra e o Corpo de Bombeiros

Deixe uma resposta