Taça Rio 2016 do Circuito Mineirinho de Jiu-Jitsu teve casa cheia e presença de atletas especiais

postado em: Notícias | 0

Mais uma vez no tradicional Clube Municipal, na Tijuca, Rio de Janeiro, o Circuito Rio Mineirinho de Jiu-Jitsu chegou a sua terceira etapa, a Taça Rio, que teve a pontuação em dobro para os participantes no ranking geral. Realizado no último sábado (21), os fãs da arte suave puderam presenciar lutas de alto nível técnico, com atletas da faixa branca até a preta. A idade dentro dos tatames também foi algo de destaque, pois além de atletas experientes, a criançada também marcou presença e mostrou a importância do esporte na vida de um “mini-atleta”.

Além de contar com combates femininos e masculinos, algo a se destacar no evento foi o Desafio Flash Sport Black Bear, que teve quatro grandes duelos, sendo um na faixa roxa, outro na marrom e dois na preta. Os confrontos foram de alto nível e os vencedores foram premiados com quimonos da Black Bear.

960x639
A terceira etapa do Circuito Rio Mineirinho, a Taça Rio, contou com lutas muito boas de todas as faixas Foto: Flashsport

Contudo, dois atletas surpreenderam a todos que estavam no evento organizado por Rogério Gavazza. Um lutador presente era cadeirante e estava participando do campeonato, outro é Fabrício Alves que é cego, mas mesmo assim, lutou contra dois atletas que tinham visão. Em entrevista exclusiva à TATAME, esse exemplo de superação no esporte contou um pouco mais como é para ele participar do evento.

“A perca da minha visão ocorreu em 1990, sofri um acidente com uma bala perdida, fiquei cego e aí devagarzinho eu voltei a treinar, percebi como era um esporte de contato foi possível estar lutando, participando e interagindo com a galera mesmo sem estar enxergando. Pratico Jiu-Jitsu há muitos anos, mas meu último campeonato foi em 1994, mas continuei treinando. Hoje estar aqui, tá sendo uma experiência super boa, primeiro porque é uma vitória pessoal. Embora todas as dificuldades estou competindo com a galera normal do evento”, declarou Fabrício que mostrou que mesmo com todas as dificuldades segue treinando e competindo.

Outra grande personalidade do mundo da arte suave que esteva presente no evento e faz parte da organização é o mestre Carlão Barreto. O ex-lutador comentou sobre como o Jiu-Jitsu vem mudando vidas e incentivando pessoas a sempre estarem treinando e competindo.

“O Jiu-Jitsu é um esporte de contato, agregador, para a família, então faz com que você interaja de uma forma muito positiva. O fato de ser uma ferramenta de inclusão, isso só nos engrandece. O Jiu-Jitsu é uma arte marcial para todos, não há distinção. Velho, novo, alto, magro, deficiente, não deficiente a limitação está na sua mente, então o Jiu-Jitsu é para as pessoas que amam o esporte, que amam lutar, independente de quem você seja, do seu tipo físico, ou nacionalidade. O Jiu-Jitsu é um esporte para todo”, disse o grande mestre Carlão Barreto.

Deixe uma resposta